terça-feira, 4 de agosto de 2009

Sobre os ciclos da Vida

Só um comentáriozinho.

A vida é cheia dos términos, começos e recomeços. Se não fosse assim,acho que tudo seria meio sem graça, no entanto tais mudanças sempre machucam um cadinho.
A gente se acostuma com algumas coisas e pessoas, e de repente a vida vem e diz: -Peraí, vamos mudar um pouquinho as coisas.
Apesar de olharmos para nós mesmos agora e enxergarmos o mesmo quadro. Cada um de nós a vive de forma errante, por mais quadrados, acomodados, chatos e tediosos que possamos ser.
É uma pessoa querida que se vai, outra que se junta a nós, um novo emprego, um novo amor, uma despedida, uma conversa filosófica. Enfim, acontece das mais diversas formas, mas uma coisa é certa, mudamos constantemente. E não é fácil engolir as mudanças com sorriso na cara, porque até as boas coisas nos tiram da rotina, causam preguiça.
Existem aqueles que vivem em eterna mutação, como diria a Clarice.Esses, acredito eu, são os mais espertos, vão se arriscando com as novas situações, pois como disse, elas virão de qualquer forma.
Já os acomodados sofrem um pouquinho mais, são maioria. Esses finais de ciclo são aquele tapinha na cara da gente, para percebermos que nada é sempre igual. As coisas mudam e a melhor saída é participar ativamente da mudança. Vendo a vida passar e passando com ela.

É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.
Fernando Pessoa

4 comentários:

Madame_Camomila disse...

Eu só queria registrar que eu sou a sua Fã number "1".

Que você escreve muito bem..E nem vem me dizer que foi rapidinho..uhuuu!

Mudanças...Mudanças...Como são dificeis, como são boas...!

(L)

Aline disse...

Eu estou nesse ciclo.cBen vinda ao clube Aliná.

Nado Xavier disse...

aeeee...

como dizia o tiozinho Camoes...

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.
Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já foi coberto de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.

bjao senhorita!

LUCAS... disse...

Como a Fabi, vc também usou o Pessoa para expressar parte de seus sentimentos, acho incrivel como ele tem palavras que sempre exprimem um momento que vivemos ou vamos viver...